BR Distribuidora, agora privatizada, vale mais 80%


Desde que abriu capital em dezembro de 2017, a BR distribuidora se valorizou 80%, indo de R$ 19,9 bilhões a R$ 31,5 bilhões em valor de mercado. Nesta quarta-feira, com a definição da venda de 30% das ações da empresa que pertencem a Petrobras, a companhia finaliza seu processo de privatização, já que a estatal deixa de ser acionista majoritária da empresa, informa o Valor Econômico.


Neste processo, a BR Distribuidora superou a concorrente Ultrapar, dona da rede de postos Ipiranga. Porém, a ultrapassagem se deve mais a perda de valor da concorrente do que à própria valorização. Na época do IPO (Oferta Inicial de Ações) da BR Distribuidora, a Ultrapar valia R$ 40,7 bilhões. Hoje, a empresa tem capitalização de mercado de R$ 22,7 bilhões.


Segundo dados da Economática, a Ultrapar supera a BR em valor de caixa, com R$ 6,4 bilhões versus R$ 3,85 bilhões. O total da dívida da primeira, no entanto, é quase o triplo do que o total da segunda, com R$ 16,5 bilhões contra R$ 6,35 bilhões. A venda de ações da Petrobras foi um dos vetores da alavancagem da empresa.


Desde que a operação para a venda de 30% dos papéis foi anunciada, em abril, a BR se valorizou 18,88%. Para efeito de comparação, o Ibovespa, maior índice acionário do país, teve alta de 10% no período. Nesta quarta, as ações atingem sua máxima histórica, a R$ 27,27, por volta das 14h38, alta de 4,8%. Mais ações da BR devem ser vendidas pela Petrobras nesta semana, a depender do sucesso da operação.


Além do crescimento no valor de mercado, a BR se destaca por ter a quarta maior geração de receita no acumulado de 2018, fora o setor bancário. A empresa vem logo atrás de Petrobras, JBS e Vale, nesta ordem. No quinto lugar vem a Ultrapar. Na comparação do último trimestre, o ranking se mantém.


Posts recentes

Ver tudo

Ricardo Salles pede demissão do governo

Alvo de investigações, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pediu hoje demissão do governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Logo depois, Salles concedeu entrevista a jornalistas justificando a

Impactos na economia do Brasil das 500 mil mortes

A marca de 500 mil mortes por covid-19 é muito mais que qualquer comparação que possa ser feita: sete Maracanãs lotados em final de Copa do Mundo, uma cidade como Florianópolis, o total de nascidos em

PIB surpreende e cresce1,2% no 1º trimestre

A economia brasileira começou 2021 em crescimento, confirmando a melhora de perspectivas para o ano como um todo e aumentando as chances de as perdas causadas pela covid-19 serem recuperadas até dezem