Whatsapp, nem tão importante assim


A última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo contrariou a discussão dos últimos dias sobre a importância do WhatsApp nas eleições presidenciais. O levantamento indica que o aplicativo de mensagens teria tido um impacto limitado no resultado do primeiro turno e pode ter afetado os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) na mesma proporção. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Três em cada quatro eleitores ouvidos pelo levantamento afirmaram não ter recebido mensagens desfavoráveis a nenhum presidenciável na semana anterior ao primeiro turno. As respostas sobre a exposição a propaganda negativa no segundo turno não indicaram que um candidato tenha sido mais afetado que o outro.


Dos eleitores ouvidos pelo estudo, 73% afirmam não ter recebido conteúdo negativo sobre nenhum dos candidatos através do aplicativo. Dos entrevistados, 18% disseram ter recebido críticas ou ataques contra Bolsonaro e Haddad, na mesma proporção, e outros 14% citaram conteúdo referente aos demais candidatos do primeiro turno.


Mesmo entre os 25% de eleitores que afirmaram ter recebido críticas ou ataques, o impacto das mensagens parece ter sido limitado. O Ibope perguntou somente a quem viu propaganda no WhatsApp se o conteúdo ajudou ou não a decidir o voto. Nesse caso, 75% disseram não, e 24%, sim. Em relação ao universo total da pesquisa, os que receberam campanha negativa pelo aplicativo e admitiram que isso influenciou seu voto são apenas 6%.


Dentre esse universo dos 6% que foram atingidos pela campanha negativa no aplicativo, 39% afirmaram ter votado em Bolsonaro no primeiro turno, 35% em Haddad e 24% em outros candidatos, em branco ou nulo.

Cadastre-se para receber as análises por e-mail

© 2023 by Talking Business.  Proudly created with Wix.com