Temer decide extraditar Cesare Battisti, foragido


O presidente Michel Temer decidiu nesta sexta-feira extraditar o italiano Cesare Battisti, condenado na Itália por quatro assassinatos nos anos 1970 e com ordem de prisão cautelar determinada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal. O italiano está em ‘local incerto e não sabido’ e é considerado foragido. Há uma investigação em andamento para localizá-lo. Segundo a Coluna do Estadão, a decisão do presidente será publicada ainda nesta sexta-feira.


A Polícia Federal continua à procura do italiano, informa Fausto Macedo em seu blog no Estadão. O advogado de Battisti, Igor Tamasauskas, informou que não conseguiu contato com ele após a decisão do ministro do Supremo. A última vez que conversaram, segundo o defensor, foi ‘no começo do mês ou fim do mês passado’. Tamasauskas informou que eles só se falavam ‘quando havia necessidade’.


Na decisão, Fux expediu o mandado de prisão para ser cumprido pela Interpol, representada no Brasil pela Polícia Federal. Também citou pedido da Interpol para prender Battisti pelos crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Em 2010, o STF julgou procedente o pedido de extradição feito pela Itália três anos antes, mas deixou a palavra final para o presidente da República. O petista Luiz Inácio Lula da Silva, no último dia de mandato, se negou a extraditar Battisti.

Posts recentes

Ver tudo

PIB surpreende e cresce1,2% no 1º trimestre

A economia brasileira começou 2021 em crescimento, confirmando a melhora de perspectivas para o ano como um todo e aumentando as chances de as perdas causadas pela covid-19 serem recuperadas até dezem

Rejeição a Bolsonaro volta ao recorde de 59%

Pesquisa PoderData, do portal Poder360, realizada nesta semana (24-26.mai.2021) mostra que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro voltou a subir e igualou o recorde de 59%, uma alta de 5

Ministro Salles acusado de facilitar contrabando

Ao autorizar a abertura da Operação Akuanduba na manhã desta quarta, 19, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que as investigações da Polícia Federal descortinaram um ‘