Moro ministro, para combater a corrupção e o crime organizado


O juiz federal Sérgio Moro vai deixar a Operação Lava Jato para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. A conversa entre eles durou uma hora e meia esta manhã na casa de Bolsonaro, no Rio. O compromisso é combater a corrupção e o crime organizado.


Em nota oficial, o juiz afirmou que vai se afastar de novas audiências na Lava Jato “para evitar controvérsias desnecessárias”. No próximo dia 14 o ex-presidente Lula seria interrogado por Moro no processo sobre o sítio de Atibaia. O petista é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. A audiência, agora, deverá ser realizada pela substituta de Moro, a juíza Gabriela Hardt.

Na nota, Moro destaca que ‘a Operação Lava Jato seguirá em Curitiba com os valorosos juízes locais’. Moro conduziu a Lava Jato desde o início da operação, deflagrada em sua fase ostensiva em março de 2014, levando à condenação de políticos, empreiteiros, doleiros e administradores da Petrobrás.


Pelo Twitter, Jair Bolsonaro confirmou: “O juiz federal Sérgio Moro aceitou nosso convite para o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Sua agenda anticorrupção, anticrime organizado, bem como respeito à Constituição e às leis será o nosso norte”!


A nota de Sérgio Moro:

Fui convidado pelo Sr. Presidente eleito para ser nomeado Ministro da Justiça e da Segurança Publica na próxima gestão. Após reunião pessoal na qual foram discutidas políticas para a pasta, aceitei o honrado convite. Fiz com certo pesar, pois terei que abandonar 22 anos de magistratura. No entanto, a perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito à Constituição, à lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisão. Na prática, significa consolidar os avanços contra o crime e a corrupção dos últimos anos e afastar riscos de retrocessos por um bem maior. A Operação Lava Jato seguirá em Curitiba com os valorosos juízes locais. De todo modo, para evitar controvérsias desnecessárias, devo desde logo afastar-me de novas audiências. Na próxima semana, concederei entrevista coletiva com maiores detalhes.


Curitiba, 01 de novembro de 2018.

Sergio Fernando Moro

Posts recentes

Ver tudo

Bolsonaro insinua que China fez guerra química

O presidente Jair Bolsonaro fez mais uma vez ataques à China ao insinuar que a pandemia de covid-19 seria um instrumento de “guerra química” para garantir maior crescimento econômico ao país asiático,

CPI da Covid convoca Queiroga e ex-ministros

Os integrantes da CPI da Covid no Senado aprovaram nesta quinta-feira os requerimentos para convocação dos ex-ministros da Saúde do governo Jair Bolsonaro e do atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga,

Cadastre-se para receber as análises por e-mail

© 2023 by Talking Business.  Proudly created with Wix.com