top of page

Haddad usa fake para atacar Mourão


Em sabatina hoje ao jornal O Globo, o candidato petista Fernando Haddad repetiu um erro produzido e espalhado por sua militância a respeito do candidato a vice do PSL, general Mourão, a quem chamou de torturador. A acusação foi feita inicialmente pelo músico Geraldo Azevedo, em show em Jacobina, na Bahia. Disse que foi preso duas vezes na ditadura em 1969 e que o general Mourão era um de seus torturadores.


A fala foi gravada e o vídeo espalhado pelo senador Lindbergh Faria. Fernando Haddad acreditou, mas era fake news, pois o músico reconheceu o erro e pediu desculpas pelo “transtorno causado”.


Mourão respondeu rápido: “Esse cara bebeu. Observe que, em 1969, eu estava no Colégio Militar, em Porto Alegre, no 1º ano do 2º grau”. Tinha, portanto, apenas 16 anos. Consulta à Comissão da Verdade não mostra citação alguma a Mourão, que entrou para a Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) em 1972.


Ficou ruim para o candidato Fernando Haddad fazer uso de fake news, no momento em que acusa o adversário de Bolsonaro pelo mesmo método.

Posts recentes

Ver tudo

Bolsonaro na ONU, monte de mentiras e exageros

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas teve repercussão negativa no exterior e entre observadores da política externa brasileira e parlamentares. Pa

Pacheco devolve MP que liberava as fake news

Em nova derrota do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu a medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet e dificultava a remoção de conteúdo

Fux: ameaça de Bolsonaro é atentado à democracia

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro participar de atos antidemocráticos e ameaçar “descumprir” decisões do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira que

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page