Bolsonaro segura Vélez no Ministério da Educação


O presidente Jair Bolsonaro disse esta tarde, ao chegar ao Itamaraty, que o ministro da Educação Ricardo Vélez Rodrigues continua no cargo. Lembrado que o “guru da nova direita” Olavo de Carvalho foi ao Twitter criticar o ministro e até mesmo pedir a sua demissão, Bolsonaro disse: "Eles estão se entendendo. Não precisa sair". A informação é de O Estado de S. Paulo.


"Teve um probleminha com o primeiro homem dele, mas está tudo resolvido", disse o presidente numa referência a Vélez, cuja indicação é de Olavo. "Eu tenho seis filhos e tenho problema de vez em quando. Imagine com 22 ministros", afirmou. "Eu tenho cinco filhos", corrigiu logo em seguida.


Sobre a situação do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, envolvido em denúncias de ter direcionado verbas de campanha a candidatas suspeitas de laranjas, o presidente limitou-se a responder: "Estou aguardando primeiro o relatório da investigação."


O clima é de apreensão no Ministério da Educação (MEC) depois que funcionários ligados ao professor deixaram a pasta. Olavo tem feito críticas ao ministro e a seus subordinados em suas redes sociais. As disputas no ministério começaram semana passada, quando seis funcionáveis que defendiam políticas de viés ideológico deixaram o ministério. Dentre essas políticas, a mais importante foi uma carta enviada às escolas pedindo que o slogan de campanha de Bolsonaro ("Brasil acima de tudo, Deus acima de todos") fosse lido por crianças e que elas ainda fossem filmadas cantando o Hino Nacional.


Com a repercussão da notícia - Vélez recuou na determinação enviada às escolas -, o ministro deixou os “olavistas” de lado e passou a se aconselhar com um grupo que defende o abandono do discurso ideológico. “Olavistas”, por sua vez, dizem que o grupo é “tucano” e não segue as ideias de Bolsonaro. Os técnicos rivalizam com outros dois segmentos dentro do MEC, o de seguidores de Olavo e o de alguns militares.

Posts recentes

Ver tudo

Bolsonaro na ONU, monte de mentiras e exageros

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas teve repercussão negativa no exterior e entre observadores da política externa brasileira e parlamentares. Pa

Pacheco devolve MP que liberava as fake news

Em nova derrota do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu a medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet e dificultava a remoção de conteúdo

Fux: ameaça de Bolsonaro é atentado à democracia

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro participar de atos antidemocráticos e ameaçar “descumprir” decisões do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira que