Bolsonaro: “esquerdalha” é ameaça à Argentina


O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira que “o Rio Grande do Sul pode virar um Estado como Roraima”, caso o kirchnerista Alberto Fernández vença as eleições presidenciais argentinas em outubro, informa o Estadão. Fernández, companheiro de chapa da ex-presidente Cristina Kirchner, teve mais de 15 pontos de vantagem para o presidente Mauricio Macri nas primárias de ontem, que servem como uma espécie de termômetro para a disputa pela Casa Rosada. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva felicitou Fernández, por meio do Twitter.


“Se esta esquerdalha voltar na Argentina, nós poderemos ter no Rio Grande do Sul um novo Estado, como o de Roraima, e não queremos isso”, disse o presidente em referência ao êxodo migratório provocado pela crise econômica na Venezuela. “Não queremos ver irmãos argentinos fugindo para cá, caso essas eleições se confirmem” .


O presidente ainda vinculou os kirchneristas a outras lideranças de esquerda no Brasil, na Venezuela e em Cuba: “Não esqueçam que na Argentina a turma da Cristina Kirchner, que é a mesma da Dilma (Rousseff), (Nicolás) Maduro, (Hugo) Chávez e Fidel Castro deram um sinal de vida (sic) aqui no Brasil (o presidente se referia à Argentina), ao lado do povo gaúcho. Existe uma turma aí que quer roubar nossa liberdade, e essa turma apoia a Venezuela, Cuba e Coreia do Norte. Não podemos esquecer isso”.

Posts recentes

Ver tudo

PIB surpreende e cresce1,2% no 1º trimestre

A economia brasileira começou 2021 em crescimento, confirmando a melhora de perspectivas para o ano como um todo e aumentando as chances de as perdas causadas pela covid-19 serem recuperadas até dezem

Rejeição a Bolsonaro volta ao recorde de 59%

Pesquisa PoderData, do portal Poder360, realizada nesta semana (24-26.mai.2021) mostra que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro voltou a subir e igualou o recorde de 59%, uma alta de 5

Ministro Salles acusado de facilitar contrabando

Ao autorizar a abertura da Operação Akuanduba na manhã desta quarta, 19, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que as investigações da Polícia Federal descortinaram um ‘