top of page

Vélez demitido. O ‘olavista’ Weintraub vira ministro


O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou na manhã de hoje a demissão de Ricardo Vélez Rodriguez do Ministério da Educação, substituído por Abraham Weintraub, que integrou o governo de transição, informa O Globo. O anúncio foi feito por Bolsonaro em sua conta no Twitter, logo após participar de reunião com Vélez na manhã de hoje:


"Comunico a todos a indicação do Professor Abraham Weintraub ao cargo de ministro da Educação. Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta. Aproveito para agradecer ao Prof. Velez pelos serviços prestados".


O novo ministro da Educação é economista formado pela USP (Universidade de São Paulo) e tem mestrado em administração em finanças pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). Grande parte de sua carreira foi dedicada ao setor privado. Ele tem passagem pelo Banco Votorantim e corretoras financeiras.


Abraham atuou junto ao irmão, Arthur, no governo de transição e vinha colaborando com a gestão Bolsonaro na tentativa de aprovar a reforma da Previdência


Segundo o site BR18, do Grupo Estado, o novo ministro da Educação, até aqui secretário-executivo da Casa Civil, é um seguidor de Olavo de Carvalho e prega o combate ao “marxismo cultural” nas universidades. Ele e seu irmão, o economista Arthur Weintraub atuam na equipe de Jair Bolsonaro desde a campanha.


Ao discursar na Cúpula Conservadora organizada por movimentos de direita em Foz do Iguaçu, no fim do ano passado, o novo ministro defendeu que, para vencer o debate com a esquerda, os conservadores devem usar o humor e “adaptar” as ideias de Olavo de Carvalho: “Quando um comunista chegar para você com o papo “nhoim nhoim”, xinga. Faz como o Olavo de Carvalho diz para fazer. E quando você for dialogar, não pode ter premissas racionais”.

Posts recentes

Ver tudo

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas teve repercussão negativa no exterior e entre observadores da política externa brasileira e parlamentares. Pa

Em nova derrota do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu a medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet e dificultava a remoção de conteúdo

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro participar de atos antidemocráticos e ameaçar “descumprir” decisões do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira que

bottom of page