Uma estranha no ninho


O capitão Jair Bolsonaro dizia que procurava uma noiva como vice para sua campanha à Presidência da República. Tentou o senador Magno Malta (PR-ES), militares de alta patente, e acabou escolhendo a professora de Direito Janaína Paschoal, uma das responsáveis pelo processo de impeachment de Dilma Rousseff. Ao ser apresentada na convenção do PSL que oficializou a candidatura de Bolsonaro, Janaína foi antítese: criticou os seguidores do partido por quererem ouvir “um discurso inteiramente uniformizado”. E mais: o PSL corre o risco de se tornar um PT à direita. Para piorar, o filho do candidato, o também deputado Eduardo Bolsonaro, comparou Janaína ao ex-capitão do Exército Brilhante Ustra, considerado um dos maiores torturadores da época militar. A professora disse que seu sentimento foi de “um tapa na cara”, mas “entendi que ele estava tentando me homenagear”.


Pelo jeito, o noivado está mais para o divórcio do que para o casamento.

Posts recentes

Ver tudo

PIB surpreende e cresce1,2% no 1º trimestre

A economia brasileira começou 2021 em crescimento, confirmando a melhora de perspectivas para o ano como um todo e aumentando as chances de as perdas causadas pela covid-19 serem recuperadas até dezem

Rejeição a Bolsonaro volta ao recorde de 59%

Pesquisa PoderData, do portal Poder360, realizada nesta semana (24-26.mai.2021) mostra que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro voltou a subir e igualou o recorde de 59%, uma alta de 5

Ministro Salles acusado de facilitar contrabando

Ao autorizar a abertura da Operação Akuanduba na manhã desta quarta, 19, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que as investigações da Polícia Federal descortinaram um ‘