Um cego apaixonado

O colombiano Juan Carlos Osorio, treinador da seleção do México, tentou desviar a atenção da derrota para o Brasil e a eliminação de sua equipe no Mundial da Rússia. Atacou Neymar e seu cai-cai: “Isto é jogo de homens, não há espaço para tanta palhaçada. Vergonha”. Tudo isso para dizer que o jogador brasileiro encenou o tempo todo, especialmente quando foi pisado no tornozelo pelo lateral Miguel Layún quando já estava fora do campo – lance repetido à exaustão pela tevê.


Ao apoiar a selvageria, Osorio, que teve uma passagem medíocre como técnico do São Paulo, age como militante político apaixonado: fica cego diante das maiores evidências. Agora terá tempo de sobra para meditar sobre a paixão e a cegueira.

Posts recentes

Ver tudo

Fake news como prova contra urna eletrônica

As provas de fraude nas urnas eletrônicas que o presidente Jair Bolsonaro prometeu apresentar nesta quinta-feira, 29, foram uma mistura de fake news, vídeos descontextualizados que circulam há anos na

Centrão na Casa Civil, Onyx vai para o Trabalho

Numa tentativa de fortalecer sua base de sustentação política, o presidente Jair Bolsonaro fará mudanças no ministério, informa O Estado de S. Paulo. A principal novidade é a nomeação, para a Casa Civ