TSE aprova cinco candidatos


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje os registros de candidatura a presidente da República de Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (PSOL), João Amoêdo (Novo), Marina Silva (Rede) e todos os seus vices. Na terça já havia aprovado também a candidatura de Vera Lúcia (PSTU) e do vice.


A Corte Eleitoral ainda deverá julgar em plenário as candidaturas de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Jair Bolsonaro (PSL), Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT), Henrique Meirelles (MDB), Álvaro Dias (Podemos), João Goulart Filho (PPL), José Maria Eymael (Democracia Cristã) e seus vices.


Há pedidos de impugnação contra Lula, Alckmin e Bolsonaro, ainda sem data para julgamento. Preso desde abril deste ano, Lula tem 16 contestações - do Ministério Público, de partidos, candidatos e cidadãos - por causa da condenação em segunda instância no caso do tríplex do Guarujá, no âmbito da Operação Lava Jato.


Geraldo Alckmin é contestado pelo candidato do MDB, Henrique Meirelles, sob alegação de que os seis partidos que compõem a coligação do tucano (PTB, PP, PR, DEM, PRB e SD) não teriam comprovado expressa concordância com a aliança.


Contra Bolsonaro, foi pedida a impugnação por ser réu em suposta prática de injúria e apologia ao crime de estupro. A acusação é da deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), a quem Bolsonaro disse, em 2014, que "não estupraria a deputada porque ela não mereceria".

Posts recentes

Ver tudo

Bolsonaro na ONU, monte de mentiras e exageros

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas teve repercussão negativa no exterior e entre observadores da política externa brasileira e parlamentares. Pa

Pacheco devolve MP que liberava as fake news

Em nova derrota do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu a medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet e dificultava a remoção de conteúdo

Fux: ameaça de Bolsonaro é atentado à democracia

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro participar de atos antidemocráticos e ameaçar “descumprir” decisões do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira que