Suástica no corpo da jovem foi autolesão


A Polícia Civil do Rio Grande do Sul concluiu que os cortes em forma de suástica feitos em uma jovem que disse ter sido atacada na rua, há duas semanas, em Porto Alegre, são um caso de "autolesão", informa a Folha.


No início a jovem disse que foi vítima de violência política. Sua bolsa tinha a inscrição #Elenão, contra Bolsonaro, e por isso teria sido agredida e marcada por três rapazes simpatizantes do candidato.


Segundo o delegado Paulo César Jardim, há indícios de automutilação ou de que tenham sido feitos de forma consentida. A jovem será indiciada por falso testemunho. O laudo técnico da Polícia Civil conclui que "pode se afirmar com convicção que as lesões produzidas na vítima não são compatíveis com as que seriam esperadas, na hipótese de ter havido efetiva resistência da parte dela à ação de um agente agressor".


A pena para falso testemunho é de seis meses a um ano de detenção. De acordo com o delegado, a jovem foi diagnosticada com a doença do pânico: "Ela sofre de problemas emocionais, toma remédios, tem debilidade emocional".

Posts recentes

Ver tudo
Cadastre-se para receber as análises por e-mail

© 2023 by Talking Business.  Proudly created with Wix.com