Os candidatos já registrados no TSE

Seis candidatos a presidente registraram suas candidaturas (e seus bens) no Tribunal Superior Eleitoras (TSE) nesta segunda-feira. O prazo de registro termina na quarta e a campanha eleitoral começa na quinta. Horário eleitoral gratuito a partir do dia 31, uma sexta-feira. Nas convenções partidárias, 14 nomes foram confirmados, mas Manuela D’Ávila (PCdoB) vai desistir para apoiar o PT ou virar vice de Fernando Haddad.

O TSE tem até 17 de setembro para uma análise inicial dos registros. Mas ainda será possível analisar recursos depois desse prazo. De qualquer decisão, cabe recurso ao Supremo Tribunal Federal.


Os já registrados:


João Amoêdo (Novo)

Ocupação declarada: engenheiro; bens declarados: R$ 425.066.485,46

Vice: Professor Christian (Novo); ocupação declarada: cientista político; bens declarados: R$ 4.125.322,33


CABO DACIOLO (Patriota)


Ocupação declarada: deputado; bens declarados: nenhum

Vice: Professora Suelene Balduino (Patriota); ocupação declarada: professora de ensino fundamental; bens declarados: R$ 201.855,75


CIRO GOMES (PDT)


Ocupação declarada: advogado; bens declarados: R$ 1.695.203,15

Vice: Kátia Abreu (PDT); ocupação declarada: senadora; bens declarados: R$ 2.690.466,21


GERALDO ALCKMIN (PSDB)


Ocupação declarada: médico; bens declarados: R$ 1.379.131,70

Vice: Ana Amélia Lemos (PP); Ocupação declarada: senadora; bens declarados: R$ 5.125.983,92


GUILHERME BOULOS (PSOL)


Ocupação declarada: historiador; bens declarados: R$ 15.416,00

Vice: Sonia Guajajara (PSOL); ocupação declarada: professora de ensino médio; bens declarados: R$ 11.000,00


VERA LÚCIA (PSTU)


Ocupação declarada: outros; bens declarados: R$ 20.000,00

Vice: Hertz (PSTU); ocupação declarada: professor de ensino médio; bens declarados: R$ 100.000,00


Posts recentes

Ver tudo

Fake news como prova contra urna eletrônica

As provas de fraude nas urnas eletrônicas que o presidente Jair Bolsonaro prometeu apresentar nesta quinta-feira, 29, foram uma mistura de fake news, vídeos descontextualizados que circulam há anos na

Centrão na Casa Civil, Onyx vai para o Trabalho

Numa tentativa de fortalecer sua base de sustentação política, o presidente Jair Bolsonaro fará mudanças no ministério, informa O Estado de S. Paulo. A principal novidade é a nomeação, para a Casa Civ