Na guinada liberal, mais crédito para todos os pequenos


A afirmação do ministro da Economia, Paulo Guedes, no discurso durante a cerimônia em que formalmente assumiu o cargo: “Vamos desestatizar o mercado de crédito”.


O novo comandante da economia reafirmou a importância de uma guinada liberal no Brasil após décadas de gestão baseada na linha social-democrata e criticou a política de empréstimo praticada pelas instituições federais até o ano de 2015, segundo o Valor Econômico: -- Os bancos se perderam nos grandes programas em que piratas privados, burocratas corruptos e criaturas do pântano político se associaram contra o povo brasileiro.


Guedes associou o que chamou de centralização de poder do estatal à corrupção ao baixo crescimento econômico do País nas últimas décadas. Ele questionou a real necessidade de crédito público, mas apontou que, dada a realidade de que o Brasil dispõe dessas instituições, elas deveriam priorizar o financiamento para as empresas de menor porte, deixando as grandes companhias buscarem o mercado privado: "Eu acho que não há motivo nenhum para dúvidas, angústias, incertezas a respeito de alguma coisa".


Por isso, pretende retomar todos os recursos que o Tesouro emprestou ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Para Guedes, essa política expulsou investimentos e premiou rentistas.

Cadastre-se para receber as análises por e-mail

© 2023 by Talking Business.  Proudly created with Wix.com