Mourão: democracia deve voltar em paz á Venezuela


O vice-presidente do Brasil, general Hamílton Mourão, afirmou que o País vai "manter a linha de não intervenção" na Venezuela, recorrendo somente às estratégias de "pressão diplomática e econômica", de modo que uma "solução pacífica" se instaure no país vizinho. A posição do Brasil foi anunciada pelo vice-presidente em sua conta no Twitter.


Mourão participa do encontro do Grupo de Lima, que discute a situação política atual da Venezuela. Ele afirmou que não haverá "aventuras" com relação ao país caribenho: "O Brasil acredita que é possível devolver a Venezuela à democracia sem qualquer ação extrema”.


O vice-presidente ainda condenou a violência cometida a manifestantes contrários ao regime de Nicolás Maduro.


Na semana passada, soldados venezuelanos abriram fogo contra civis que se opunham à operação que buscava impedir o acesso à Venezuela de caminhões do Brasil com ajuda humanitária. Duas pessoas morreram no incidente.

Posts recentes

Ver tudo

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas teve repercussão negativa no exterior e entre observadores da política externa brasileira e parlamentares. Pa

Em nova derrota do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu a medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet e dificultava a remoção de conteúdo

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro participar de atos antidemocráticos e ameaçar “descumprir” decisões do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira que