Lula deixa a prisão e volta ao ataque de cima do palanque


Fonte: O Globo

O ex-presidente Lula deixou, nesta sexta-feria, a prisão na Polícia Federal em Curitiba depois de um ano e sete meses, encarcerado desde sua condenação por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do apartamento triplex do Guarujá.


Ele foi beneficiado pela decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que, na quinta-feira, reformou o entendimento sobre prisão após a segunda instância. Por 6 a 5, o STF deixa livre os condenados até o trânsito em julgado.


Lula foi recebido na rua por militantes do PT, do MST, partidos satélites e outras entidades de esquerda. E fez seu primeiro discurso em frente à PF em tom agressivo contra a Operação Lava Jato:


"Um lado podre do Estado brasileiro fez comigo e com a sociedade brasileira. O lado podre da Justiça, do MP, da Justiça, o lado podre da Polícia Federal e da Receita Federal trabalharam para tentar criminalizar a esquerda, criminalizar o PT, o Lula".


Disse que a situação do País piorou nesse tempo em que esteve preso, atacou o presidente Jair Bolsonaro e seus ministros. “A fome aumentou, o desemprego aumentou”, como sempre sem ligar esse desemprego à sua sucessora Dilma Roussef. Entre suas frases de ataque, afirmou que “Fernando Haddad foi roubado pelo Bolsonaro” nas últimas eleições presidenciais:


-- O Brasil não melhorou, o Brasil piorou, o povo está desempregado.

E anunciou: "Amanhã tenho encontro no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Depois as portas do Brasil estarão abertas para que eu possa percorrer esse país".


Posts recentes

Ver tudo

Fake news como prova contra urna eletrônica

As provas de fraude nas urnas eletrônicas que o presidente Jair Bolsonaro prometeu apresentar nesta quinta-feira, 29, foram uma mistura de fake news, vídeos descontextualizados que circulam há anos na

Centrão na Casa Civil, Onyx vai para o Trabalho

Numa tentativa de fortalecer sua base de sustentação política, o presidente Jair Bolsonaro fará mudanças no ministério, informa O Estado de S. Paulo. A principal novidade é a nomeação, para a Casa Civ