Lava Jato chega à Petrobras na Bahia. Já são 17 presos



A 56ª fase da Lava Jato, deflagrada na manhã desta sexta-feira, apura o superfaturamento na construção da sede da Petrobras em Salvador (BA), de acordo com a Polícia Federal (PF), informa o portal G1, da Globo. Até o momento, 17 pessoas foram presas. São 33 mandados de prisão para 22 alvos, pois alguns dos investigados têm mais do que um endereço. Também foram cumpridos 68 mandados de busca e apreensão.


Conforme a PF, também houve superfaturamento nos contratos de gerenciamento da construção, de elaboração de projetos de arquitetura e de engenharia. As ordens judiciais são cumpridas em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia. O G1 apurou que Marice Correa, cunhada do ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) João Vaccari Neto, é uma das pessoas presas em São Paulo. A prisão dela é temporária.


Mario Cesar Suarez, da OAS, foi preso preventivamente na capital baiana. Já Wagner Pinheiro Oliveira, ex-presidente da Petros e Correios, foi alvo de busca e apreensão no Rio de Janeiro. A PF ainda não divulgou o nome dos outros alvos. Os presos preventivos devem ser levados para a sede da Polícia Federal em Curitiba.


A Torre Pituba, sede da Petrobrás, foi construída pela OAS e pela Odebrecht, que distribuíram vantagens indevidas de pelo menos R$ 68.295.866, quase 10% do valor da obra. Segundo a Polícia Federal, o dinheiro foi desviado para o pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos da Petrobras, do PT e dirigentes da Petros, entre 2009 a 2016.

Cadastre-se para receber as análises por e-mail

© 2023 by Talking Business.  Proudly created with Wix.com