"Incompetência gerencial" e mais brigas na Educação


O ex-presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Marcus Vinícius Rodrigues, foi exonerado ontem do cargo. E hoje, em entrevista ao Bom Dia Brasil, ele afirmou que não há comunicação dentro do Ministério da Educação (MEC).


Na segunda-feira Rodrigues assinou uma portaria sobre as novas regras do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Por ela, a avaliação da alfabetização de crianças de 7 anos não seria feita na edição de 2019. Horas depois da publicação no Diário Oficial da União, o Inep afirmou que esse teste só seria aplicado em 2021.


Depois de gerar polêmica, a portaria foi anulada no dia seguinte pelo ministro da Educação, Ricardo Veléz Rodríguez.


O ex-presidente do Inep diz que assinou a portaria com respaldo do secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim. Um documento mostra que, de fato, Nadalim havia feito a recomendação para que a alfabetização não fosse avaliada em 2019.


Marcus Vinicius Rodrigues aponta que não há diálogo entre os membros da pasta: "Foi um processo muito ruim, que mostrou a incompetência gerencial muito grande". Ele também declarou que, em três meses de governo, não houve nenhuma reunião de trabalho com o ministro da Educação.


Procurado pelo G1, o MEC não se pronunciou até o momento.


O ministro Ricardo Vélez Rodríguez respondeu, durante audiência hoje na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados: afirmou o ex-presidente do Inep "puxou o tapete" ao cancelar a avaliação federal de alfabetização e, por isso, foi demitido do cargo. A exoneração de Rodrigues foi confirmada ontem à noite no Diário Oficial da União.

Cadastre-se para receber as análises por e-mail

© 2023 by Talking Business.  Proudly created with Wix.com