Ibope e a tendência do segundo turno


A eleição presidencial se encaminha mesmo para o segundo turno entre as extremas, segundo a última pesquisa Ibope/Estadão/Rede Globo: Jair Bolsonaro (PSL) pela direita e Fernando Haddad (PT) pela esquerda. No levantamento divulgado ontem, o capitão reformado continua com 32% das intenções de voto, seguido do petista, com 23%, Ciro Gomes (PDT), 10%, Geraldo Alckmin (PSDB), 7% e Marina Silva (Rede), 4%.


Em relação à pesquisa anterior do Ibope, esses candidatos apenas oscilaram dentro da margem de erro, que é de dois pontos para mais ou para menos. Bolsonaro oscilou um ponto para cima e Haddad dois também para cima. Atrás de Marina aparecem João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB), cada um com 2%; Alvaro Dias (Podemos) e Cabo Daciolo (Patriota), cada um com 1%. Outros quatro candidatos não pontuaram. Votos em branco e nulos somam 11%; outros 6% não responderam ou não souberam responder.


Em votos válidos (desconsiderando brancos e nulos), o candidato do PSL fica com 38% ante 28% do petista. O Ibope fez quatro simulações de segundo turno. No cenário mais provável, Haddad alcança 43%, ante 41% de Bolsonaro, em uma situação de empate técnico. Ciro é o único candidato que venceria Bolsonaro: 46% a 39%. Contra Alckmin, o placar seria 41% a 40% para o tucano (empate técnico). Bolsonaro marca 43% ante 39% de Marina (empate no limite da margem de erro).


Bolsonaro e Haddad também continuam a liderar nos índices de rejeição: 42% dos eleitores não votariam em Bolsonaro de jeito nenhum. A taxa apurada para Haddad é de 37%. Marina é rejeitada por 23%; Alckmin, por 17%; Ciro, por 16%.

O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 209 municípios.

Cadastre-se para receber as análises por e-mail

© 2023 by Talking Business.  Proudly created with Wix.com