top of page

Haddad, candidato a presidente


A Executiva Nacional do PT confirmou em reunião desta terça-feira, em Curitiba, o nome do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como candidato do partido à Presidência da República e Manuela d’Ávila (PCdoB) como vice na chapa. Haddad vai substitui o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve sua candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base na Lei da Ficha Limpa. Ele foi condenado em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.


A decisão foi tomada no prazo final de dez dias estipulado no dia 1º pelo ministro Luís Roberto Barroso para que o partido promovesse a substituição do cabeça da chapa petista. Participaram da reunião em um hotel no centro de Curitiba, além de Haddad, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), a ex-presidente cassada Dilma Roussef, o senador Lindbergh Farias (RJ), o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, outros dirigentes petistas e o advogado eleitoral Luiz Fernando Casagrande Pereira.


Haddad esteve na cadeia com Lula pela manhã e à tarde, como “advogado”. Um palanque foi montado perto da Polícia Federal em Curitiba para o lançamento da candidatura. Lula escreveu cartas à direção do partido e aos brasileiros. Um vídeo já começou a ser divulgado, mas o senador Lindbergh Farias adiantou o espírito da mensagem:


-- Lula continua candidato pelo nome do Haddad. O Haddad vai governar junto com o Lula. Vai montar o ministério junto com o Lula.

Posts recentes

Ver tudo

Bolsonaro na ONU, monte de mentiras e exageros

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas teve repercussão negativa no exterior e entre observadores da política externa brasileira e parlamentares. Pa

Pacheco devolve MP que liberava as fake news

Em nova derrota do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu a medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet e dificultava a remoção de conteúdo

Fux: ameaça de Bolsonaro é atentado à democracia

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro participar de atos antidemocráticos e ameaçar “descumprir” decisões do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira que

Comentários


Os comentários foram desativados.
bottom of page