Entre aplausos e vaias

Em um encontro com empresários promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em Brasília, os presidenciáveis foram mais cautelosos ao expor seus programas de governo na tentativa de agradar a seleta plateia. Nesse jogo Jair Bolsonaro se saiu melhor e até ganhou aplausos ao dizer que sua primeira providência será pedir “a benção de Deus para o Brasil”. Ajuda divina é sempre bem-vinda.


Marina Silva e Ciro Gomes investiram mais uma vez contra a reforma trabalhista aprovada pelo Congresso. Marina prometeu “melhorias” no texto. Mas Ciro Gomes chamou a reforma de “selvagem”. Para ele, esta palavra deve ser mais suave do que o substantivo que usa normalmente para se referir à reforma: “excrescência”. Um elefante em loja de louça. Enfim, foi o único vaiado pelos empresários

Posts recentes

Ver tudo

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas teve repercussão negativa no exterior e entre observadores da política externa brasileira e parlamentares. Pa

Em nova derrota do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu a medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet e dificultava a remoção de conteúdo

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro participar de atos antidemocráticos e ameaçar “descumprir” decisões do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira que