Covas dispara. Boulos, França e Russomano em 2º


O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), subiu seis pontos porcentuais na quarta pesquisa Ibope/TV Globo/Estadão e se isolou na liderança da sucessão municipal. Ele tem agora 32% das intenções de voto, 19 pontos a mais que o adversário mais próximo, Guilherme Boulos (PSOL), que tem 13%, informa O Estado de S. Paulo.


Boulos, porém, divide a segunda colocação com Celso Russomanno (Republicanos) e Márcio França (PSB), que têm 12% e 10%, respectivamente. Estão todos em situação de empate técnico.


Russomanno, que chegou a dividir o primeiro lugar com Covas no começo da campanha, mantém tendência de queda na série de pesquisas Ibope/TV Globo/Estadão: largou com 26%, foi para 25% e depois caiu para 20% e 12%.


Já com o atual prefeito ocorreu o oposto: ele começou com 21%, foi a 22% e depois subiu para 26% e 32%.


Boulos vinha subindo aos poucos até a terceira pesquisa, mas estabilizou em 13%. França marcou 7% nos dois primeiros levantamentos, foi a 11% e agora oscilou para 10%.


Entre os demais candidatos, o petista Jilmar Tatto parou de crescer e ficou com 6%, empatado tecnicamente com Arthur do Val, conhecido como Mamãe Falei, do partido Patriota (5%). Os dois também empatam tecnicamente com Joice Hasselmann (PSL), com 2%. Os demais concorrentes ficam com 1% ou menos.


Segundo turno

Nas simulações de segundo turno, Bruno Covas se destaca como favorito. Ele bateria todos os principais adversários em um eventual confronto direto se a eleição fosse hoje. Contra Boulos, o placar seria 52% a 24%. Contra Russomanno, 54% a 22%. E, se o adversário fosse França, a vitória se daria por 47% a 30%.

Posts recentes

Ver tudo

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas teve repercussão negativa no exterior e entre observadores da política externa brasileira e parlamentares. Pa

Em nova derrota do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu a medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet e dificultava a remoção de conteúdo

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro participar de atos antidemocráticos e ameaçar “descumprir” decisões do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira que