Bolsonaro já cresce na pesquisa


Na primeira pesquisa depois do atentado de quinta-feira passada em Juiz de fora, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) subiu nas intenções de voto, de 26 para 30%. O levantamento foi feito pela FSB a pedido do banco BTG entre os dias 8 e 9 de setembro com dois mil eleitores de todo o País, por telefone, e publicada hoje pelo Valor Econômico. Houve alteração no nível de conhecimento e potencial de voto de Bolsonaro. Diminuiu de 13% para 7% a fatia de pessoas que não conhece o candidato do PSL. E aumentou de 35% para 40% os que dizem que “poderiam votar” no presidenciável. O índice dos que dizem não votar “de jeito nenhum” em Bolsonaro continua em 51%.


Ciro Gomes (PDT) aparece em segundo lugar, com 12%, mesmo índice da semana passada. Em seguida estão Marina Silva (Rede), Geraldo Alckmin (PSDB) e Fernando Haddad, todos com 8%. Marina tinha 15% há duas semanas e 11% na semana passada. Para Alckmin, significa estabilidade – de 9% há duas semanas e os mesmos 8% semana passada. Para Haddad significa uma tendência de crescimento - ele vem de 5%, passou para 6% e agora tem 8%. Outro movimento em torno do nome de Haddad é a queda no percentual de eleitores que não o conhecem (de 29% para 22%) e um aumento na parcela dos que dizer que poderiam votar no petista, de 20% para 24%. A fatia dos que não votaria “de jeito nenhum”, oscilou para cima dentro da margem, de 50% para 52%.


Ainda na pesquisa de intenção de voto estimulada, João Amoêdo (Novo), Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles têm 3% cada. Alvaro manteve o índice da semana passada e Amoêdo e Meirelles oscilaram dentro da margem de erro.

Cadastre-se para receber as análises por e-mail

© 2023 by Talking Business.  Proudly created with Wix.com