A tristeza do primo real

O príncipe dom João Henrique de Orleans e Bragança, o príncipe Joãozinho, trineto de dom Pedro 2º, anda aborrecido com as atitudes políticas de seu primo Luiz Fhilippe, também de Orleans e Bragança, cotado como um dos prováveis vices do candidato a presidente Jair Bolsonaro.


Luiz Philippe se filiou ao PSL e fundou o movimento antipetista “Acorda Brasil”. Dom João Henrique não se conforma, segundo relato de Mônica Bergamo hoje na Folha:


-- Nossa família tem uma tradição de tolerância —Dom Pedro 1º, Pedro 2º, a princesa Isabel. É uma tradição de liberdade, de respeito às minorias, à diversidade. Nossa posição, e a de qualquer família real no mundo hoje, é de suprapartidarismo.


O príncipe disse que o primo escolheu um candidato absolutamente intolerante: “É uma figura perigosa para o Brasil. Faz Trump parecer um menino bonzinho! É uma pena que alguém, numa família como a nossa, com tanta dedicação ao país, possa firmar uma aliança com alguém tão agressivo. É triste para nós. E para o Brasil. Espero que ele reflita”.


Nossa realeza se ressente da falta de sintonia.


Posts recentes

Ver tudo

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas teve repercussão negativa no exterior e entre observadores da política externa brasileira e parlamentares. Pa

Em nova derrota do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu a medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet e dificultava a remoção de conteúdo

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro participar de atos antidemocráticos e ameaçar “descumprir” decisões do Supremo Tribunal Federal, o presidente da Corte, Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira que