A repercussão no mercado: uma fala moderada, apenas

Banqueiros brasileiros receberam positivamente o discurso do presidente Jair Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial, em Davos. O presidente do conselho do Bradesco, Luís Trabuco, considerou que o discurso de Bolsonaro teve "sentimento de propósito e de determinação". André Esteves, do BTG, classificou a fala do presidente como ''construtiva e ponderada, o que é importante para o Brasil neste momento''.


Ricardo Marino, presidente do conselho do Itaú Unibanco America Latina, notou que Bolsonaro procurou destacar sua agenda de governo e que fica para os ministros falar dos detalhes.


Para economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif, o discurso de Bolsonaro foi superficial: “Achei neutro. Ele só foi falar de Previdência na sessão de perguntas e respostas. Não deu ênfase à agenda econômica”.


Para o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves, o discurso de Bolsonaro foi sem novidades do ponto de vista do conteúdo, mas adequado àquele fórum. “Não houve surpresas, ele foi conciso e tentou focar em alguns pontos, como combate à corrupção, reforma do Estado, meio ambiente e business. Essa é a cara geral do discurso”.


Para Luiz Eduardo Portella, sócio e gestor da Novus Capital, o discurso de Bolsonaro em Davos foi uma perda de "grande oportunidade de empolgar o investidor estrangeiro". Mesmo com bastante tempo disponível para “vender o caso do Brasil” num dos principais palcos da economia global, o presidente se ateve ao roteiro e não trouxe detalhes sobre sua agenda econômica.

Posts recentes

Ver tudo

Ricardo Salles pede demissão do governo

Alvo de investigações, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pediu hoje demissão do governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Logo depois, Salles concedeu entrevista a jornalistas justificando a

Impactos na economia do Brasil das 500 mil mortes

A marca de 500 mil mortes por covid-19 é muito mais que qualquer comparação que possa ser feita: sete Maracanãs lotados em final de Copa do Mundo, uma cidade como Florianópolis, o total de nascidos em

PIB surpreende e cresce1,2% no 1º trimestre

A economia brasileira começou 2021 em crescimento, confirmando a melhora de perspectivas para o ano como um todo e aumentando as chances de as perdas causadas pela covid-19 serem recuperadas até dezem